Verdades do Corpo | MANIPULAÇÃO FEMININA
Representa uma visão alternativa à saúde baseada na biodescodificação de uma sintomática física ou psicológica, numa intervenção terapêutica que dirige à cura profunda emocional. Serviços: Psicologia Clinica, Psicossomática Clinica e Humanista, Psicogenealogia, Sexualidade Masculina, Numerobiologia.
Psicologia, Psicossomática, somática, placebo, biodescodificação, relacionamento, Clinica, Humanista, numerologia, Saúde, Mente, Psicogenealogia, genealogia, família, sexualidade, masculino, homem, gravidez, corporal, inconsciente, emoção, cérebro, gestação, antepassados, infância, equilíbrio, acupunctura, auriculoterapia, biologia, repressão, doença
21531
post-template-default,single,single-post,postid-21531,single-format-standard,cookies-not-set,ajax_fade,page_not_loaded,,content_with_no_min_height,select-child-theme-ver-2.8,select-theme-ver-3.9,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

MANIPULAÇÃO FEMININA

Devido à sua natureza intrínseca emocional e relacional, a mulher tende a usar mais estratégias de manipulação e camuflagem de sentimentos, do que o homem.

 

A arte da manipulação é fruto de uma necessidade de mimetismo social, de modo a proteger-se das suas verdadeiras intenções.

 

Para não sofrer da violência de um marido enraivecido, a mulher coloca um sorriso no rosto para a se proteger do ódio de morte que sente por ele. Assim desenvolveu a arte do engano.

 

O homem, na sua ignorância, tende a ver a mulher manipuladora como uma espécie de serpente preversa, uma “cabra manipuladora” que deseja enloquece-lo até a morte. Ao longo da história, o homem foi educado a ver o comportamento manipulador da mulher como um “mal”, por ainda não ter aprendido a estar consciente de si mesmo.

 

Na realidade, a mulher só procura com esse comportamento testar a honestidade, credibilidade e confiança de um homem.

Se ela quer um homem ao seu lado que sabe o que quer e que conheça o seu lugar, testa-lo até limite é a melhor dávida pode oferecer ao carácter de um homem.

 

Sem essa provocação “maldosa”, como o homem poderia aprender testar a verdade da mentira? Como um homem desenvolviria a retitude e a virtude interior?

 

Um homem sem uma mulher que não o teste, não passaria de uma criança caprichosa que só agiria em função de interesses infantis.

 

 

MARCO SOUSA

Sem comentários

Faça o seu comentário